Monóxido de carbono de queimada próximo à BR, revolta moradores do bairro Bombinha em Araci

Atualizado: 20 de out.


(O esgoto atravesa a BR e corre à ceu aberto cortando as áreas de terreno de propriedade do Sr. Balbino Pinheiro e Elson Sena e está sendo roçado pela prefeitura para limpeza do esgoto.)

Áreas de terrenos localizadas às margens da BR-116, sentido Araci Tucano, identificadas como propriedade dos senhores Elson Sena e Albino Pinheiro, foram incendiadas de forma culposa neste último final de semana, e a fumaça produzida em alta escala pela queima da vegetação seca e combustão de lixo como pneus e plásticos, prejudicou enquanto durou o incêndio, os moradores da área e ainda os que moram do outro lado da BR. Na direção do vento.

Tais moradores relatam que a situação de queimadas tem sido recorrente em outras áreas do bairro, sem que se identifique o ateador do fogo e sem apuração da responsabilidade, uma vez que que atear fogo em lixo é crime passível de multa, como prevê o Código de Postura da Cidade.

Versão de morador e operário que desmatava a área:

Sem querer se identificar, uma moradora comentou à reportagem do Portalfolha, que possivelmente o fogo tenha se originado da ação de elementos que se utilizavam da área fechada por vegetação rasteira e grandes pés de mamonas, para encontros libertinos e viciosos. Ameaçados com a presença de muitos inchus, decidiram atear fogo na colônia dos marimbondos e o fogo se espalhou rapidamente na vegetação seca e nos montes de lixo.

O operário que presta serviço à secretaria de infraestrutura da prefeitura, disse que estava limpando a área para que a máquina pudesse entrar e fazer a limpeza e desobstruir a vala do esgoto. “Encontrei muito fogo e fumaça, tentei apagar, mas com fogo nos pneus, ficou mais difícil e o incêndio parou por não ter mais o que queimar” – disse.

Os culpados:

Moradores declararam que a prefeitura devia investigar os culpados, outros pensam que o fogo foi de interesse dos donos dos lotes, mas ninguém arriscou dar nomes por não terem evidencias do ato danoso à saúde dos moradores. Nenhum dano ou prejuízo foi atribuído aos proprietários das áreas atingidas.

O proprietário dos lotes à margem da BR, Sr. Albino, não tem conhecimento do ocorrido. “Mora em Feira de Santana e seus filhos cuidam da propriedade, disse um sobrinho do Balbino. O empresário e advogado Elson Sena, disse não ter sofrido danos ou perdas com o incêndio, apenas deseja esclarecer que foi avisado e que como os moradores, está sem saber quem é o autor e porque ateou fogo. “Creio que a informação da queima dos inchus, seja a mais logica” – disse Sena.

Mais imagens na galeria:

Vale ressaltar a nível de informação, que com a vegetação seca, qualquer fagulha pode provocar, incêndios dentro da cidade. Outro problema é o hábito de acabar com lixo e entulhos utilizando o fogo, o que é crime passível de multa, mas sem uma ação fiscalizadora do poder público, muitos se ariscam cometerem esses atos danosos.

103 visualizações0 comentário