top of page

Já começou em Feira de Santana a Campanha “Quebrando o Silencio 2023”


O Quebrando o Silêncio é um projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica promovido anualmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia em oito países da América do Sul, (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai) desde o ano de 2002. A campanha se desenvolve durante todo o ano, mas uma das suas principais ações ocorre sempre no quarto sábado do mês de agosto. Este é o “Dia de ênfase contra o abuso e a violência”, quando ocorrem passeatas, fóruns, escola de pais, eventos de educação contra a violência e manifestações na América do Sul.

A cada ano um tema é escolhido para ser discutido e abordado com propósito de conscientizar a comunidade, denunciar abusadores e ajudar as vítimas e nesse ano o “Quebrando o Silencio” sinaliza uma ideia central: “alertar sobre a prevenção e combate ao abuso contra mulheres durante a gestação e o parto”, como bem ilustra o cartaz.

Enquanto para algumas mulheres a gestação, o parto e o pós-parto são experiências tranquilas e felizes, para outras, esses momentos são marcados por intenso sofrimento. Uma gravidez indesejada, resultado de situações abusivas, cria um cenário desafiador, com impactos negativos duradouros na vida da mãe e do bebê. No Brasil, um estudo da Fundação Perseu Abramo revelou que uma em cada quatro mulheres sofre algum tipo de violência na assistência ao parto.

Feira de Santana é cidade sede da ABAC-Associação Bahia Central da Igreja Adventista do 7º Dia e onde fica a coordenação nacional e regional da mobilização deste evento que acontece todos os anos. Coordenadoras da campanha, estarão visitando na próxima terça feira (15) a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres de Feira de Santana, onde serão recebidas pela secretária Gerusa Sampaio, para divulgar a mobilização contra a violência obstétrica, que reúne voluntários em todo o Brasil para alertar sobre a prevenção e combate ao abuso contra mulheres durante a gestação e o parto.

Janete Lima, coordenadora nacional da campanha, visitará a secretária municipal acompanhada de representantes estaduais e do município, para conversar sobre meios de ajudar a população para combater esse tipo de violência. Uma das formas de engajamento será por meio de kits contendo panfletos e revistas, com orientações de especialistas sobre violência obstétrica, planejamento familiar, gestão emocional durante a gravidez e maternidade, autocuidado e autoestima materna. As voluntárias também vão apresentar a importância de criar redes de apoio que orientem os pais sobre colaboração nos cuidados com o bebê, entre outros tópicos.

A ação quer estender o alcance da conscientização para toda a região do recôncavo baiano. Segundo idealizadores do movimento, a expectativa é de que milhares de pessoas se unirão em ações de prevenção e combate à violência obstétrica. A expectativa é de que a maior concentração de pessoas envolvidas ocorra no dia 26 de agosto. Nos munícipios baianos, voluntários se preparam para realizar palestras, passeatas e encontros formativos sobre o tema.

(Informe de origem da Assessoria de Comunicação e Imprensa da ABAC: Larissa Astéria (75) 99125-9863 larissa.asteria@adventistas.org Pollyana Trindade (71) 99225-2946, pollyana.trindade@adventistas.org, Heron Santana (71) 99103-5965 heron.santana@adventistas.org)


60 visualizações0 comentário

Комментарии


bottom of page