Bem-vindo | 18/06/2021

Portal Folha - O seu Jornal Online

Transmissão das sessões reascende a afoiteza dos vereadores

A casa cheia com a edilidade raseira e meio assistida por pessoas no auditório, estava contaminada por um ar de triunfo pela volta da transmissão das sessões legislativas e cada vereador que ocupou a tribuna naquela manhã, tinha em suas primeiras palavras essa comemoração. A tribuna voltou a tremer e retornou aos microfones a eloquência que fortalecia o discurso de quem fez uso da palavra.

Por Gidalti Moura

ter, 17/09/2013 às 15:44

Quem assistiu ao vivo os trabalhos da Sessão da Câmara Municipal da terça-feira, pôde observar que um novo brilho irradiava as aparências de todos os 15 vereadores que em quórum máximo ocupavam a mesa dos trabalhos legislativos do dia 17 de setembro. Certamente um clima de comemoração devia estar também se apresentando nos lares, nos estabelecimentos, nos automóveis e nas pessoas que esperavam a volta do prazer de sintonizar a 104.9 para acompanharem tudo o que acontece na casa da cidadania de sua cidade.

A casa cheia com a edilidade raseira e meio assistida por pessoas no auditório, estava contaminada por um ar de triunfo pela volta da transmissão das sessões legislativas e cada vereador que ocupou a tribuna naquela manhã, tinha em suas primeiras palavras essa comemoração.  A tribuna voltou a tremer e retornou aos microfones a eloquência que fortalecia o discurso de quem fez uso da palavra.

Transmissão das sessões reascende a afoiteza dos vereadoresO primeiro a ocupar a tribuna foi o Vereador Marcos Pimentel.

Com uma página do jornal Folha dos Municípios na mão, deu ao seu discurso um tom de profundo desabafo ao lembrar sua destemida luta contra o cartel orquestrado em Araci que obriga os postos a praticarem preços fora do mercado, prática chamada pelo vereador Marquinho de “roubo”.

Além de decepcionado, Marcos estava desanimado com a  falta de reação de uma sociedade consumidora de combustível, que reclamou tanto, mas o deixou sozinho em sua investida contra os donos e administradores de postos em Araci. “Os donos de postos estão me olhando como se eu fosse um bandido”. O tema de minha luta tomou conta da cidade, teve repercussão fora de nossos muros, foi debatido amplamente na Rádio Comunitária local e ninguém, nem um consumidor sequer, entrou no ar para se solidarizar comigo ou me agradecer pela minha coragem solitária. Era o que em tese dizia o vereador.

Entre seu pronunciamento vociferado, Marquinho deixava aparecer muita mágoa de um povo sem alma e indiferente até ao seu direito de ser defendido por seu representante. O vereador se dirigiu aos jovens presentes, dizendo: “Estudem, sejam alguém na vida e saiam desta cidade, porque em Araci o povo não valoriza os irmãos que lutam por ele”. Marcos deixou a tribuna dizendo ao colega Rômulo que o aparteou dizendo: “Se propormos uma audiência pública para tratar do preço dos combustíveis, não vem ninguém”.

Transmissão das sessões reascende a afoiteza dos vereadoresO vereador Anastácio foi à tribuna e começou a disparar contra a atual administração do prefeito Silva Neto.

Fez duras críticas ao Hospital Municipal dizendo que fez uma visita de inspeção e concluiu que a situação daquela unidade era de muita preocupação. “Falta tudo ali, do papel higiênico ao material de limpeza. As operárias só contam com água para limpar o hospital, um ambiente que exige o máximo de assepsia e limpeza”, comentou.

Acompanhado pela colega vereadora Gilmara, fomos ameaçados de sermos postos pra fora por uma funcionária.

Anastácio censurou também a secretária de Ação Social, Renalva Lisboa, em relação ao processo de revisão que vem sendo feito no programa Minha Casa, Minha Vida.  O vereador disse que estava investigando as irregularidades apresentadas pela secretaria quanto à venda e aluguel de unidades e também da relação dos beneficiários que segundo a secretaria está tudo irregular. O vereador pediu um relatório de tudo o que a secretária disse, porque sua maior preocupação é a relação dos beneficiários. O vereador quer investigar se esse recadastramento dos moradores não se trata de um mecanismo de beneficiar pessoas que não são os beneficiários de origem do projeto, quando receberam na gestão anterior suas moradias.

O vereador Rômulo aparteou o colega dizendo que o que estava acontecendo com o programa era uma manobra eleitoral para satisfazer apadrinhados do grupo do prefeito.

Anastácio cobrou do presidente José Augusto a apreciação de suas indicações pedindo melhoramento das estradas vicinais na região do Jacu e Cortiço que desde janeiro tinha dado entrada na Casa e até o momento estão esquecidas sem apreço do plenário. Criticou o secretário Ginho de Infraestrutura, dizendo que a Infra com tantas máquinas, não está recuperando as estradas, mas que uma máquina de Araci está no município de Tucano na localidade Riacho do Boi, construindo pistas de cavalos.

O vereador Riva, aparteou o colega para contribuir criticando também o secretário de Infraestrutura e disse que a máxima “máquina tem muitas, mas não tem óleo” estava sendo comprovada.

Transmissão das sessões reascende a afoiteza dos vereadoresChegou a vez de Rômulo ocupar a tribuna. Os 20 minutos aferidos a ele não foram suficientes para um discurso contundente em defesa da aprovação das contas da ex-prefeita Nenca.

Ainda bem que a cidade está nos ouvindo pela Rádio Comunitária, comemorou Rômulo. E iniciou explicando: “Porque vou votar a favor da aprovação das contas da ex-gestora.  Quero esclarecer à população de Araci, que essa história de que o TCM pediu para reprovar as contas da ex-prefeita é uma manobra! O Tribunal é um órgão opinativo. Quem decide sobre contas de prefeitos é a câmara. Somente a câmara tem o poder de derrubar ou manter o parecer do TCM. Conheço porque estudei todo o parecer do TCM e não se acha nenhum ato de corrupção, dolo ou desvio de dinheiro nas contas. O que aconteceu foi que a prefeita aplicou índices maiores que os estabelecidos como prudenciais” e deu os exemplos:

Em vez de aplicar o índice de 25% na saúde, a ex-gestora aplicou 27,6%. Em vez de aplicar 15% na saúde, ela aplicou índice maior e fez pagamentos diretos em educação sem passar pela conta da pasta. Situações como essas, disse o vereador, deveria ser aplaudida pela câmara, pois foi com muita coragem que a ex-prefeita manteve a educação e a saúde de Araci como referencia entre as melhores da Bahia. E disse mais ainda Rômulo: “É uma injustiça votar contra contas como a da ex-prefeita”. O prefeito de Lapão trabalhou muito e aplicou índices maiores que os prudenciais como a prefeita Nenca, mas o TCM deu outro resultado no parecer, sem problema. Por isso é que vou votar a favor das contas dela, disse Rômulo.

No primeiro expediente, entraram em votação os projetos 114/2013 do Executivo que foi retirado de pauta, bem como o projeto 102/2013 que trata das Diretrizes Orçamentárias por falta de realização de uma Audiência Pública. Esse último foi marcado para ser votado em sessão extraordinária na quinta-feira 19 depois da audiência pública anunciada para amanhã, quarta dia 18.

Ainda no primeiro expediente, foi apresentada à Câmara e à sociedade a nova delegada nomeada para Araci, a Bel. Alda de Deus Estrela Peres. A delegada se pronunciou agradecendo a receptividade de todos e foi saudada em nome da Casa legislativa pela vereadora Gilmara que fez uma alegoria ao seu nome dizendo que o sobrenome Deus, deveria trazer a paz para Araci e o outro sobrenome Estrela trouxesse a Luz para seu povo.

Comentários