Bem-vindo | 15/05/2021

Portal Folha - O seu Jornal Online

Lula visita o papa Bento XVI no Vaticano

O mundo e o Brasil testemunharam através dos veículos de comunicação a […]

Por Luis Gustavo

sáb, 10/01/2009 às 15:16

O mundo e o Brasil testemunharam através dos veículos de comunicação a visita que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez ao papa Bento XVI no Vaticano. O presidente brasileiro estava acompanhado da primeira-dama, Marisa Letícia. A visita de Lula ao sumo pontífice da Igreja Católica tinha um teor mais diplomático que político e evidenciava mais interesse denominacional tanto é que foi depois do encontro de Lula com Bento que foi assinado o acordo que regulamentará aspectos jurídicos da Igreja Católica no Brasil.

O documento assinado defende “a personalidade jurídica da Igreja para o pleno desenvolvimento de sua missão apostólica e pastoral” o que foi amplamente divulgado pela Rádio Vaticana e a assinatura se deu no Palácio Apostólico.

Na assinatura do acordo, estavam presentes Lula, o secretário de Estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, e os ministros das Relações Exteriores brasileiro, Celso Amorim, e o da Santa Sé, Dominique Mamberti. O Papa não estava presente no momento da assinatura do documento, mas antes na audiência com o presidente Lula Bento XVI expressou seu agradecimento ao presidente brasileiro pela concordância sobre tudo o que foi assinado e o que o estatuto representa para a Igreja Católica considerando que o Brasil é um dos maiores países católicos do planeta.

O ponto alto desse documento é que ele inclui em seu texto “aspectos relativos à liberdade de credos e ao ensino religioso nas escolas públicas”. O Vaticano anunciou que não vai divulgar mais detalhes. O que significa que o tema ainda não está amplamente aberto e conseqüentemente aceito pelo núncio apostólico. Uma abertura dessa dimensão no seio de uma igreja que por séculos e séculos manteve-se fechada aos ensinos de outras religiões no âmbito educacional.
Fontes brasileiras emitiram opiniões a respeito desse documento como fez o Secretário Geral de Liberdade Religiosa do Brasil-ABLIRC Dr. Jabes Oliveira Moura PhD, manifestando-se nas cartas da Revista Veja, 31.11.2008.

O Secretário da ABLIRC escreveu à Veja aspectos sobre o tema onde discutiu na ONU no ano passado dizendo: “O Estado Brasileiro é laico. A intromissão do Vaticano na questão de Liberdade Religiosa, é um retrocesso. O ensino religioso nas escolas apenas esta iniciando. As particulares tem trabalhado com cautela, inclusive as confissionais. O Estado não pode se intrometer em questões religiosas, apenas dar segurança para que a liberdade religiosa seja respeitado. O Estado se tornou laico, vale dizer tornou-se eqüidistante dos cultos religiosos sem assumir um deles como religião oficial. A modernidade vai se distanciando a cada dia e as pessoas professam sua fé individual.O ensino religioso é mais do que aparenta ser,isto é, um componente curricular em escolas. Por trás dele se oculta uma dialética entre secularização elaicidade no interior de contextos históricos e culturais precisos.Nas sociedades ocidentais e mais especificamente a partir da modernidade, a religião deixou de ser o componente da origem do poder terreno deslocado para a figura do indivíduo e lentamente, foi cedendo espaço para que o Estado se distanciasse das religiões.

Comentários