Bem-vindo | 18/06/2021

Portal Folha - O seu Jornal Online

Vereador Jefinho apresenta projeto que obriga execução do Hino Nacional, Estadual e Municipal nas escolas aracienses

O vereador Jefson Miranda Cardoso Carneiro protocolou na Câmara o projeto de Lei que “Dispõe sobre a execução do Hino Nacional e do Hino de Araci, nas escolas de ensino fundamental” e justifica que se fala muito no Brasil, da falta de civismo das crianças e jovens, mas a educação não se volta para esse fim.

Por Gidalti Moura

dom, 17/09/2017 às 19:00

Vereador Jefinho apresenta projeto que obriga execução do hino Nacional, Estadual e Municipal nas escolas AraciensesA propositura do vereador presidente da Câmara será lida na Sessão desta terça feira que se realizará na modalidade Itinerante no Distrito de Barreira e institui a obrigatoriedade da execução dos hinos Nacional e Municipal, na íntegra, nas escolas públicas e privadas do município de Araci e faculta a execução do Hino do estado da Bahia.

Conforme a proposta do autor, a obrigatoriedade da execução dos hinos Nacional Brasileiro aplica uma vez por semana, nas escolas públicas e privadas de ensino fundamente como determina o Art. 1º e nas escolas públicas de ensino fundamental, além do disposto no art. 1º, torna obrigatória a execução uma vez por semana, do Hino do Município de Araci.

O projeto normatiza através do Parágrafo Único do Art. 2º que a execução dos hinos deverá ocorrer antes do início das aulas e, se possível, ser acompanhada do hasteamento das bandeiras do Brasil, do Estado da Bahia e do Município de Araci em ato de modo solene, em conjunto com todos os alunos e professores, coordenadores e diretores, os quais farão manter a ordem e o respeito.

Ao Justificar sua propositura o vereador Jefinho explica que se fala muito no Brasil, da falta de civismo das crianças e jovens, porém entende que a educação não está mais preocupada e voltada para esse fim.

O costume de se executar o hino nacional nas escolas (públicas e privadas) se evidenciou no governo de Getúlio Vargas no final da década de trinta e inicio da década de quarenta e o objetivo era fazer com que os estudantes aprendessem a cantar o hino, além de servir como demonstração de amor à Pátria.

O autor cita os americanos do norte como exemplo de povo que desenvolve amor e respeito à pátria. Bandeiras são hasteadas por todo o país, sejam nas casas, carros, escolas, bares e restaurantes, hotéis, postos de combustíveis e lamenta que os brasileiros só demonstrem interesse pela celebração em época de Copa do Mundo ou na comemoração da Independência do país, no dia 07 de setembro e o desinteresse se ampliou com a eliminação da disciplina Educação Moral e Cívica nas escolas.

A realização de um momento cívico nas escolas como obrigação pelo menos uma vez por semana, os pavilhões, os hinos e os brasões voltam a ser respeitados e reverenciados como símbolos instituídos pelas três constituições, – justifica o vereador autor.

 

Comentários