Bem-vindo | 18/06/2021

Portal Folha - O seu Jornal Online

Contas da Ex-prefeita Nenca são rejeitadas por 7 x 5 votos na Câmara de Araci

A rejeição ou manutenção do parecer do TCM que opinou pela rejeição das contas da ex-prefeita Nenca era assunto que vinha mexendo com a classe política de Araci nestes últimos 40 dias, até que nesta terça feira 24 de setembro, a Casa Legislativa em sessão ordinária da semana, colocou em votação o Parecer do TCM.

Por Gidalti Moura

ter, 24/09/2013 às 16:15

A rejeição ou manutenção do parecer do TCM, que opinou pela rejeição das contas da ex-prefeita Nenca, era assunto que vinha mexendo com a classe política de Araci nestes últimos 40 dias até que na terça-feira, 24 de setembro, a Casa Legislativa em sessão ordinária da semana, colocou em votação o Parecer do TCM.

Os simpatizantes da prefeita 2009-2012 acreditavam que a maioria dos vereadores derrubariam o parecer do tribunal que rejeitou suas contas por irregulares, por se tratar de ressalvas ligadas a inobservância de índices prudenciais, gastos excessivos em algumas áreas como saúde e educação, além de fragmentação nos processos licitatórios. Essas ressalvas não deveriam ser entendidas como fatores que justificassem a manutenção do Parecer do TCM.

Já o outro grupo que representa o grupo dominante da hora, entendia que mesmo sendo essas as principais ressalvas do Parecer, deveriam ser encaradas como irregularidades e consequentemente a Câmara como órgão decisório deveria manter o Parecer do TCM sentenciando a ex-prefeita à condição de ente público inelegível.

A hora D da votação.

 Ao anunciar o momento da votação, o presidente José Augusto deixou a mesa e a plateia atônita com um elemento surpresa provocando um clima de maior tensão no recinto. A decisão de que os vereadores Rômulo e Anastácio não participariam da votação por estarem impedidos por terem sido secretários no período de gestão das contas em julgamento. Diante da pressão e revolta dita em palavras pelos dois vereadores, o presidente decidiu transferir a responsabilidade para os pares e pedir apoio à proposta de impedimento dos dois. A votação a maior manteve fora da votação das contas da ex-prefeita os dois aliados cujos votos certos proibidos, desmantelaram o sonho de uma vitória ou arriscado empate.

Assim com dois votos já fora do páreo pelo artifício jurídico, como bem salientou a vereadora Gilmara, a votação das contas foi iniciada e com sistema de voto aberto, 7 dos 15 vereadores se manifestaram pela manutenção do Parecer do TCM e rejeitar as contas da ex-prefeita Nenca. 5 vereadores votaram pela rejeição do TCM e aprovação das contas. O painel de votação da sessão assim ficou:

Pela manutenção do Parecer do TCM, votando contra a ex-prefeita: Guinha de Pascoal – Gilvan (Guri) – Manoel de Barnardino – Marlúcia – Virgílio (de Zé Bonfim) – Marcos (Marquinhos) – Jeferson (Jefinho).

Pela rejeição do Parecer do TCM, votando a favor da ex-prefeita: Elizabete (Bete) – Gilmara – Laerto – Leandro (Léo de Eridan) – Rivaldo (Riva).

Os vereadores Anastácio e Rômulo foram impedidos de darem seu voto declarado em público a favor da ex-prefeita Nenca.

As tensões da sessão:

Vereador Virgilio lê o parecer da Comissão de Constituição e Justiça da qual foi relator.

Vereador Virgilio lê o parecer da Comissão de Constituição e Justiça da qual foi relator. “Mantenho o parecer do Tribunal.”

Anastácio assume a tribuna e declara seu voto a favor da ex-prefeita. "O TCM não decide, ele apenas opina nós vereadores decidimos manter ou rejeitar o parecer do tribunal".

Anastácio assume a tribuna e declara seu voto a favor da ex-prefeita. “O TCM não decide, ele apenas opina, nós vereadores decidimos manter ou rejeitar o parecer do tribunal”. O interesse aqui não é condenar a prefeita, é satisfazer um jogo político que interessa a alguém.

Romulo declara seu voto favorável a rejeição do parecer do TCM e disse que a Câmara estava sendo movida pelo jogo político e cometendo uma ingratidão com uma prefeita que fez muito pelo município.

Rômulo declara seu voto favorável a rejeição do parecer do TCM e disse que a Câmara estava sendo movida pelo jogo político e cometendo uma ingratidão com uma prefeita que fez muito pelo município.

A vereadora Bete listou várias obras nunca vistas nos últimos 30 anos e disse que o TCM tinha o lado técnico, mas quem sabe do que a prefeita fez é o vereador.

A vereadora Bete listou várias obras nunca vistas nos últimos 30 anos e disse que o TCM tinha o lado técnico, mas quem sabe do que a prefeita fez é o vereador. E o vereador que não reconhecer isso está cometendo uma ingratidão.

 

 Todo o tempo que durou a sessão, as tensões dominavam pessoas na plateia e também os vereadores. Nas palavras de defesa de um lado e acusações de outro, exigiam do presidente da Casa acima de equilíbrio, pulso forte para controlar os excessos vindos de todas as alas.

O vereador Laerto Januir foi quem esquentou mais os ânimos quando lamentou a ingratidão de todos os que foram noutros tempos ajudados pela prefeita Nenca e hoje lhe vira as costas e citou com veemência o caso de um vereador sem citar seu nome, mas teve a ousadia de levantar uma foto do vereador Guinha com a prefeita na época do bem-bom relacionamento. Laerto mostrou logo ao entrar na Casa que estava incondicionalmente com a ex-prefeita a ponto de manter uma camisa do 55 pendurada em sua mesa durante toda a sessão e ainda levantou a camisa na hora de dar o seu voto.

A vereadora Bete defendeu seu voto argumentando que nenhum gestor fez crescer o Araci com tantas obras e programas como a ex-gestora Nenca e considerou uma ingratidão querer afastar da vida pública uma mulher que vem lutando pelo Araci a mais de 30 anos como professora, primeira dama e prefeita por duas vezes.

A vereadora Gilmara pediu a palavra por “QdO” ao presidente e exigiu dele o acesso à tribuna e ao ser-lhe concedida desabafou duras comparações aos pareceres do Ex-prefeito Zedafó sucedido pela prefeita Nenca e disse que o parecer da ex-gestora não constava: 140 cheques sem fundo, mais de R$ 495 mil sacados das contas públicas sem justificativas, desvios e finalidade no Fundeb e na saúde, repasses a menos para a Câmara, ausência de licitação, inexistência de notas fiscais e foi mais incisiva ao se referir ao processo de votação cerceando o direito de seus dois colegas a votação na sessão.

Gilmara demonstrou-se tão indignada que falou ao concluir: “Ao sair daqui, a primeira coisa que vou fazer é uma representação no Ministério Público pedindo a nulidade desta sessão, pois considero uma manobra do prefeito para rejeitar as contas da ex-prefeita. Por que tanto medo? A coisa não para por aí. A ex-prefeita e seu grupo político mantêm-se vivos e o tempo irá mostrar quem trabalhou e trabalha por Araci”, concluiu Gilmara.

Gilmara depois de declarar seu voto em favor da prefeita Nenca disse que iria representar no MP para anular a sessão de votação.

Gilmara, depois de declarar seu voto em favor da prefeita Nenca, disse que iria representar no MP para anular a sessão de votação pelas manobras feitas entre os dois poderes.

Vereador Laerto fala de ingratidão e mostra uma foto do colega que acompanhava a prefeita e depois por razões a abandonou.

Vereador Laerto fala de ingratidão e mostra uma foto do colega que acompanhava a prefeita junto com ele e, depois, por razões que ele sabe, a abandonou.

Comentários