Bem-vindo | 26/11/2020

Portal Folha - O seu Jornal Online

Tribuna do agradecimento e da lamentação    

A tribuna do parlamento que no período da campanha tornara-se em palanque eleitoreiro, na sessão de hoje (17.11) virou um púlpito de “lamentações” e “gratulações” para os oradores malsucedidos e os vitoriosos pelo resultado das urnas que revelaram a soberana vontade do eleitor, esse que “tira, bota e deixa ficar”.

Por Gidalti Moura

ter, 17/11/2020 às 17:47

Passado um dia, do dia 15 das eleições, realizou-se a 30ª Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores com a presença de apenas oito dos 15 pares da Casa e após leitura de duas sínteses de atas anteriores, o presidente Jefinho Carneiro abriu o tempo dos pronunciamentos da Tribuna da Casa.

A tribuna do parlamento que no período da campanha tornara-se em palanque eleitoreiro, na sessão de hoje (17.11) virou um púlpito de “lamentações” e “gratulações” para os oradores malsucedidos e os vitoriosos pelo resultado das urnas que revelaram a soberana vontade do eleitor, esse que “tira, bota e deixa ficar”.

A exemplo do terceiro orador, vereador Jera (PDT) que recebeu o veredito das urnas tirando-lhe a chance de voltar reeleito à Casa Legislativa, ao final de seu primeiro mandato em 31 de dezembro.

“No início de seu discurso, Jera agradeceu os 683 votos, que por serem insuficientes para o manter no parlamento por mais um mandato, o levou a vaticinar seu futuro político: “O vereador Jera, o político Jera, morreu no dia 15 e foi enterrado no dia 16 e nunca mais se levantará”. – Disse o vereador Jerônimo Jesus de Lima que atua como membro da mesa diretiva neste mandato. Em 1º de janeiro de 2021, estarei vestindo minha farda de policial militar e vou continuar servindo meu município e à sua população, – Disse o vereador.

Outros sete vereadores, vitoriosos nas urnas fizeram seus discursos de agradecimentos e o presidente Jefinho (PSD), encerou a tribuna como púlpito de gratulações. – “Hoje as minhas palavras são de gratidão; quero primeiro agradecer a Deus por estar aqui; agradecer a Ele, a oportunidade de ser reeleito mais uma vez, para o 3º mandato, nessa oportunidade. Sem Ele, nada disso teria acontecido. Quero agradecer a minha família pelo apoio, pelo companheirismo em todos os momentos”.

O vereador e presidente, agradeceu a todas as lideranças evangélicas que o apoiaram. A cada eleitor e citou de forma especial a gratidão pelo apoio do amigo e Pastor Luiz Leandro, que percorreu mais de 700 km para lhe dar o voto. Agradeceu também ao Pastor Luiz Leandro, ex-pastor em Araci e ao Pastor Fernando o atual pastor de sua igreja Assembleia de Deus.

Fez agradecimentos aos colegas reeleitos e eleitos, e aos que não foram eleitos disse Jefinho: “Araci perde muito em perder estes vereadores, mas o povo escolheu; participamos de uma disputa, que quem escolhe é o povo, primeiro com a aprovação de Deus e segundo do povo”. Ao comemorar a vitória da prefeita Keinha e vice Gilmara, o presidente disse que Araci vem passando uma grande transformação desde que elegeu Silva Neto e Keinha em 2012. “Essa dupla quebrou um ciclo 57 anos sem uma reeleição. Também quebrou o ciclo de alternância de poder entre pai, filho e filha desde 1963 e Araci todo sabe que Keinha e Gilmara não são herdeiras políticas de avô, pai ou mãe.

Jefinho falou de outro curso que mudou na Câmara. Os presidentes da Câmara nunca voltaram eleitos após seus mandatos. “E eu, graças a Deus, sou evidencia de que esse ciclo foi quebrado, pela volta a esta casa depois de ser seu presidente até 31 de dezembro”. – Finalizou Jefinho fazendo suas últimas saudações.

Clique Aqui para acessar o WhatsApp do  seu Portalfolha.com e receber conteúdos e matérias!

Siga-nos em nossas redes sociais –Página no Facebook – Perfil no Instagram – Perfil no Twitter

Comentários