Bem-vindo | 17/07/2019

Portal Folha - O seu Jornal Online

Último adeus ao nosso “Tonho Pinheiro”

Araci berço de tantos imortais abre sua madre venerável para receber mais um de seus filhos que em vida produziram frutos excelentes que brotam para a eternidade que lhes chamará de “Filho Ilustre” – Nosso preito de saudade a Antônio Oliveira Pinheiro.

Por Gidalti Moura

ter, 09/09/2014 às 15:13

Tonho-posterOs corações de nossa gente já deviam estar mais resistentes a tantas emoções que lhes acometem quase todos os dias. Ultimamente as emoções estão nos assaltando os sentimentos quase que frequentemente. “Quem foi dessa vez”? Essa interrogação gelada nos tira de órbita. Mas implacavelmente ficamos sabendo e procuramos força para encararmos a certeza como nos unimos todos na busca dessa força para nos despedirmos de nosso irmão, companheiro, familiar e amigo Antônio Pinheiro.

Ultimo adeus ao nosso “Tonho Pinheiro”   Em frente a sua residência na rua que quase leva seu nome, na José Pinheiro, estávamos todos, desde ontem e hoje de lá saímos para acompanha-lo até a sua última morada e dar-lhe nosso ultimo adeus.

Caminhamos o trajeto num clima de comoção e muita tristeza acompanhando emocionados o cortejo até Cemitério da cidade e na capela assistimos o amigo professor José Anivaldo encomendar seu corpo num cerimonial de despedida e conforto em Cristo.

Não importam mais as circunstancias, a doença e sua gravidade, nós perdemos nosso irmão, companheiro, familiar e amigo aos 83 anos o que também não significa que já viveu o bastante. Nosso “Tonho Pinheiro” não tinha idade. Ele tinha muita vida que não era mensurada pelo numero de vezes que ele respirava, mas pelos constantes momentos nos quais ele perdia o fôlego, quando se emocionava tocando nas cordas, quando cantava com os amigos em noites fagueiras, quando tinhas surpresas estonteantes, quando escrevia cada frase de sabedoria e erudição em sua sempre nova “máquina de escrever”.

Tonho-3Depois dessa manhã funérea, os corações de nossa gente irão encontrar forças para resistir a emoção de viver sem ele no legado que nos deixou como ser humano, pai, esposo, artista, funcionário público estadual inativo e Biógrafo.

 

 

Comentários