Bem-vindo | 03/06/2020

Portal Folha - O seu Jornal Online

Simpósio da Educação reúne cerca de 600 profissionais no Centro Paroquial

O comparecimento de quase 600 profissionais da educação no segundo momento do Simpósio 2017 impactou a sequência da programação superando as críticas pela ausência de muitos professores na abertura feira na Praça da Bíblia na noite de ontem. Para atender a demanda de assentos, a APLB cedeu centenas de cadeiras e o auditório do Centro Paroquial ficou lotado.

Por Gidalti Moura

qua, 08/02/2017 às 19:26

Simpósio da Educação reúne cerca de 600 profissionais no Centro Paroquial

O Simpósio 2017 da Educação teve sua abertura na Praça da Bíblia na noite de ontem (07.02) e acelerou as atividades previstas na programação que vai até o dia 10 na manha desta quarta feira no Centro Paroquial Padre Osvaldo.

Diferente de como aconteceu na abertura, a atividade de hoje impactou sequencia do simpósio, arrastando cerca de 600 mil profissionais da rede municipal que se apresentaram para o pontapé de suas atividades do ano letivo de 2017 sempre marcados pela tradicional Semana Pedagógica promovida todos os anos pela secretaria de educação. Nela são discutidas questões pedagógicas e administrativas para fortalecer a gestão escolar e a qualidade do ensino público no município.

As temáticas que foram abordadas se fundamentaram no tema central escolhido coordenação do evento: Educação Eficiente com foco na aprendizagem inspirado na visão do educador brasileiro, humanista e especialista em inteligência e cognação. Para Celso Antunes “não há aprendizagem mais difícil que manter a coragem, renovar-se a cada dia e buscar entusiasmo nos desafios de cada hora”.

Essa máxima de Celso Antunes deve ter levado a coordenação do evento a agregar ao tema da manhã a desafiante matéria: “Segurança na escola”. Para debater sobre esse tema oportunamente agregado ao simpósio lá estavam três personalidades responsáveis pela introdução de uma nova conjuntura securitária na cidade e no município pela criação do Conselho Comunitário de Segurança.

A promotora de Justiça, Severina Patrícia Fernandes, o capitão PM Agassiz Jorge Silva Sampaio e o presidente do Conselho de Segurança José Socorro da Silva trabalharam o tema segurança com maestria de educadores.

Simposio-zeJosé Socorro apresentou um retrô trazendo para o agora uma alusão à ideia daquilo que ele viveu, sofreu e ficou para trás. O conhecido Zé mostrou a oposição que ainda se faz ao processo passado que se aplicado consegue melhorar o futuro. Falou de seu tempo de menino e de seu tempo que todos falam que ele mudou. Declarou-se como um crítico do ECA e disse que o programa não somou nada para combater a violência nas escolas. Falou que todos os que estavam ali tinham uma obrigação de diminuir a violência pelo acompanhamento das crianças no uso da tecnologia, dos tabletes, dos celulares que prejudicam mais que ensinam.

Simposio-promDepois do radialista a promotora Patrícia falou de sua experiência vivida como promotora em Araci e do inicio na implantação do Conselho de Segurança com apoio do capitão Agassiz e de José Socorro.

A comunidade tem de investir na educação do contrario perderá a juventude para o crime. O estado não oferece condições de melhorar a vida dos que se entregam às drogas. A família tem de acompanhar isso com responsabilidade e contribuir com o Ministério Público repassando informações das ocorrências. Não podemos se comportar como se nada estivesse acontecendo. É preciso abrir um canal de comunicação e informação entre a sociedade a policia e o Ministério Público. Uma das saídas é o Conselho de Segurança Comunitária. A promotora pediu que todos abraçassem a causa da segurança.

Respondendo sobre a critica feita ao ECA, a promotora disse que a solução apresentada pelo ECA é mais apropriada para os tempos modernos e que a violência não pode ser combatida com violência. A criança deve ser alcançada pela empatia e com diálogo.

Simpósio da Educação reúne cerca de 600 profissionais no Centro ParoquialO capitão Agassiz desenvolveu seu tema falando da saudade de sua infância quando tudo era flores na versão de Cassimiro de Abreu, mas lamentou que a realidade de hoje em elação à violência exige mais que saudosismo exige mais coragem como disse Celso Antunes no pensamento que inspirava o evento.

O problema da segurança nas escolas é preciso ser tratado de forma mais amplas. É preciso sentar com os professores, com os pais e planejar e trabalhar com coragem.

O capitão disse que os professores hoje de certo odo se encontram reféns de muitos alunos com certo tipo de conduta que eles são impotentes para concertar. Às vezes a própria policia não encontra saída para solucionar certos casos que toma dimensões crescentes desde a criação no lar.

O capitão propôs no fim de sua fala que a partir daquele evento os professores procurem interagir com os conselhos. Com essa parceria fica mais fácil denunciar e buscar soluções para os casos mais complexos de segurança nas escolas.

A Semana Pedagógica vai continuar até sexta feira como uma oportunidade para os profissionais discutirem questões essenciais do cotidiano escolar, para alcançarmos juntos, o modelo de escola sonhado por todos eles, com qualidade no ensino, profissionais valorizados e estudantes preparados. À tarde serão abordados temas voltados para a valorização dos servidores de apoio à educação, amanhã (quinta), palestra para professores e gestores escolares – com o Professor Celso Antunes e na sexta feira planos de trabalho pela manha e encerramento com Seminário Letivo para os alunos da Rede Municipal,informou a secretaria da Educação professora Manuela.

aaaaaaaaaaaaa

A apresentação do evento sob o talento e voz de Ádila

aaaaaaaaaaa

A recepção começou cedo na entrada do auditório.

aaaaaaaaaaaaa

No palco como sala de estar as figuras ícones do evento.

ssssssssss

O prefeito Silva Neto chegou prestigiando o Simpósio.

Simpósio da Educação reúne cerca de 600 profissionais no Centro Paroquial

Comentários