Bem-vindo | 03/06/2020

Portal Folha - O seu Jornal Online

Prefeito Adriano entra com Revisão de suas Contas rejeitadas por ultrapassar índices prudenciais

Eleito fenomenalmente como primeiro do PT, o prefeito Adriano que contou com a força de uma massa popular e de lideranças de oposição, hoje lamenta estar quase só no meio de uma câmara de onze vereadores. O sonho de uma administração diferente desaba diante de sua primeira prestação de contas “rejeitada” pelo TCM. Adriano explica, lamenta e desabafa no Patrulha da Cidade.

Por Gidalti Moura

sex, 19/09/2014 às 16:31

Adriano-(2)O prefeito Adriano de Teofilândia esteve na manhã da sexta feira 19 falando no programa Patrulha da Cidade, do apresentador José Socorro quando falou sobre a rejeição de suas contas como gestor na prefeitura de Teofilândia.

Adriano explicou que suas contas foram rejeitadas e que há uma diferença entre contas rejeitadas e reprovadas pelo TCM. “Como eu, mitos prefeitos da Bahia tiveram suas contas rejeitadas com as famosas ressalvas”.

Entrei com pedido de revisão com base no próprio relatório do tribunal que disse que em minhas contas não havia dolo, desvio de recurso, roubo ou corrupção. O que me prejudicou foi o excesso de gastos nos índices prudenciais do Tribunal e o mais grave deles é de gastos com pessoal que ultrapassa o limite de 55%.

Não tem como não quebrar essas barreiras que são impostas aos prefeitos que por mais privilegiado que seja o município, acaba gastando mais do que arrecada. Não se consegue fazer saúde e educação sem ferir os índices que limitam gastos máximos porque o mínimo é que não dá mesmo.

Eu estou tranquilo em relação a essas ressalvas do tribunal e sei que minhas contas acabarão sendo aprovadas depois de meu pedido de revisão. Isso é comum acontecer com prefeitos em toda região. Embora isso caia como bomba na mão dos opositores, sei que nunca encontrarão em minha gestão corrupção e dolo ou malversação do dinheiro público, disse Adriano.

Câmara de Vereadores e as contas rejeitadas.

Não espero nada da Câmara. Faço uma das gestões mais difícil da história de Teofilândia. Dos onze vereadores, eu só tenho como situação dois. Essa é a maior dificuldade que tenho para governar.

Mas não vivo fazendo confronto com a Câmara. Quando os vereadores não ajudam a administração, eles não estão contra o prefeito, eles prejudicam o povo.

A falta de apoio da Câmara dificulta porque como município sem muito dinheiro, às vezes o prefeito tem de se valer de orçamento folgado de uma pasta para socorrer uma que gasta mais e para que esse remanejo de dotação seja feito é preciso da aprovação da Câmara. A maioria dos vereadores sempre está dificultando quando deveriam estudar a justificativa, a viabilidade e ajudar na solução de problemas mais urgentes.

Porque essa dificuldade, o senhor trancou o cofre para os vereadores? – (perguntou o apresentador) –

Eu tenho sido correto com o Legislativo. Cumpro meu dever nos repasses. Se vereadores não entendem que a população é prioridade, é coisa lamentável. É difícil administrar olhando para o bem comum e desprezar os interesses particulares.

Desabafo do prefeito.

Gestores que procuram trabalhar corretamente, que gastam tudo que tem e até o que não tem para cuidar da população e da cidade, têm suas contas rejeitadas. O que vemos hoje é que quem realmente rouba, faz falcatruas, criam e protegem empresas fantasmas, acabam se dando bem. Isso está levando muitos políticos a deixar a politica. Quem não é bandido é mais punido que os espertinhos e malandros que sabem como enganar os tribunais, são esses que estão se dando bem.

Nós prefeito temos contra nós também um segmento da imprensa que só nos ajuda por dinheiro. Boas notícias não lhes interessam se não forem pagas. Quando não ajudamos, viramos vítima de suas matérias e notícias maldosas que são levadas para o povo e alimentar a fome de poder de outros que já passaram pela prefeitura. – Lamentou Adriano.

 

Comentários