Bem-vindo | 08/08/2020

Portal Folha - O seu Jornal Online

Gisselmar pela última vez no Patrulha da cidade como diretor da APLB.

“Deixo a APLB com a certeza de que fiz o melhor que pude, não só em Araci, mas em toda região do sisal. Não faltou pioneirismo no sindicato e ninguém poderá negar ou desconhecer o trabalho que fiz nesses dez anos” – disse Gisselmar.

Por Gidalti Moura

seg, 15/06/2015 às 16:22

Enquanto vivermos nada é realizado pela última vez, o título, todavia fala de um Gisselmar que se tornou conhecido, identificado pelo seu jeito único de ser o que ele mesmo pregava: poucas vezes sorridente, quase sempre irreverente, sem papas na língua, sem medo de ser o que sempre quis, uma brisa em momentos especiais e um barriu de pólvora em tempos difíceis, falador de seus pontos negativos e implacável nos pontos fracos dos outros, nunca fazia questão de ser bonzinho pra não dar lugar à hipocrisia, especialista na defensiva e preparado para atacar sempre.

O ainda diretor da Delegacia da APLB de Araci esteve por telefone falando pela última vez pelo menos ao longo destes dez anos e em sua fala com o apresentador José Socorro, mostrou que sabe o que ajuda e o que prejudica emocionalmente.

aaaaaaaaaaaaaa

Essa estatueta viva vai demorar de se apagar na cuca de 339 professores que votaram em seu grande comandante.

“Deixo a APLB com a certeza de que fiz o melhor que pude, não só em Araci, mas em toda região do sisal. Não faltou pioneirismo no sindicato e ninguém poderá negar ou desconhecer o trabalho que fiz nesses dez anos. Nestes dias de campanha e eleição, se falou de tudo, isso é normal, mas o que fiz está aí e é inesquecível o nosso começo, meio e fim” – disse o líder sindical às postas de entregar o cargo.

Gisselmar tem consciência de seu pioneirismo e todos sabem que sem esse cara com o perfil descrito acima, a APLB de Araci não estariam onde está. Como um país chamado Brasil que ficou sem FHC porque não teve de sair por força constitucional, o líder decano saiu pela força da necessidade da alternância, porque o continuísmo não estava sendo bom nem mesmo para ele. Haja vista o que disse: “A politica em é algo que aflora nas pessoas” – Acertou Gisselmar. Ele que lidou em defesa das cabeças mais evoluídas do município, mentes privilegiadas pelo nível de escolaridade, sabe que esse perfil defende a alternância como uma coisa salutar.

O pioneiro da APLB se despede do programa no qual sempre foi bem vindo e escolheu derramar agradecimentos em vez de sentimentos e mágoas. Chegou a escapulir dele que a conduta de alguns políticos que se aproveitaram do processo eleitoral de um sindicato para fazerem manifestação de grupo lhe deixou magoado, mas seu forte naquela aparição no Patrulha da Cidade foi de agradecimentos a todos os envolvidos no processo da eleição.

Gisselmar agradeceu à parceria salutar que teve com a Rádio Comunitária e especialmente com o Patrulha da Cidade e foi mais longe e cresceu como figura humana quando desejou sucesso á nova diretoria dizendo que torcia pela luta deles em busca de mais conquistas para a classe, afinal o que for conseguido por eles será para mim que agora estou além dos portais do poder, – finalizou de forma elogiável o líder Gisselmar.

Comentários