Bem-vindo | 19/04/2019

Portal Folha - O seu Jornal Online

Aniversário dos 30 anos do Axé Music é comemorado no Carnaval da Cultura de Salvador

O Carnaval da Cultura invadiu os Circuitos Dodô (Barra), Osmar (Avenida Sete) e Batatinha (Centro Histórico) com os dez microtrios do Carnaval Pipoca. Foram 20 grandes shows gratuitos no palco principal do Largo do Pelourinho. “Fugir da lógica meramente mercantil nesses circuitos, era a ideia; para que a diversidade pudesse estimular novos diálogos e animar ainda mais a cena cultural na Bahia.

Por Gidalti Moura

seg, 16/02/2015 às 15:06

Parabéns ao Axé! Tema do INFORMATIVO BAHIA E SERGIPE compartilhado por diversos sites na semana de carnaval é reproduzido na íntegra, com ajustes de datas para efeito de registro na edição do Folha dos Municípios que circular depois do carnaval.

 “Atraindo aproximadamente 700 mil turistas para Salvador, o Carnaval deste ano comemorou o aniversário dos 30 anos do Axé Music. Com atrações do rock ao samba de raiz, a alegria do folião foi completa com música para todos os gostos e ritmos.

Aniversário dos 30 anos do Axé Music é comemorado no Carnaval da Cultura de SalvadorA festa contou com o criador do axé music, Luiz Caldas, que fez a abertura do Carnaval de Salvador na quinta-feira, 12 de fevereiro. O tema de 2015 foi os 30 anos do ritmo, cuja marca ganha sonoridade na música “Fricote”, que o cantor lançou em 1985.

“A música foi um marco na sua concepção rítmica e harmônica. Não tinha guitarra baiana e ele trouxe o teclado, que ocupou outro lugar nos trios elétricos e na música”, conta o compositor e músico Armandinho Macêdo.

Para a antropóloga e escritora Goli Guerreiro, a axé music originalmente é o encontro entre o samba-reggae dos blocos afro e o frevo trieletrizado. “É uma das formas da estética tropicalista que se tornou a estética da música brasileira desde a virada dos 1960 para os 1970”.

O MinC Bahia e Sergipe nesta edição trocou uma ideia super bacana com o músico e compositor Armandinho Macêdo, que está no seu 51º carnaval. Filho de Osmar Macêdo, Armandinho conta que o carnaval era diferente, e o compara ao Furdunço – criado em 2014, aconteceu sexta-feira (13), às 13h30, no Campo Grande. Nos anos 1960, o carnaval de rua era realizado com trios pequenos e sem cordas onde proporcionavam mais interação e proximidade do público com o cantor. Armandinho conta que carnaval antes do axé music já era uma mistura de vários ritmos baianos, entre eles o afoxé. Ele vai lançar uma música para este Carnaval em homenagem ao trio elétrico, intitulada de “É o trio”.

Folias

Aniversário dos 30 anos do Axé Music é comemorado no Carnaval da Cultura de SalvadorO carnaval teve início quarta (12) a partir das 19h, se apresentando na Barra as bandas de sopro e percussão, logo após o show das orquestras de Fred Dantas, Zé Freitas, Paulo Primo e Benutti.

A sexta feira (13) foi embalada pelo Furdunço às 13h30, no Campo Grande. O Furdunço este ano levou para a Avenida cerca de 30 atrações entre bandas e manifestações culturais.

Nos bairros Liberdade, Plataforma, Periperi, Cajazeiras, Itapuã, e Boca do Rio, a festa ficou por conta do Batifun, Luiz Caldas, Asas Livres, Gerônimo, Diamba, Zelito Miranda, Nelson Rufino, entre outros, além do Palco do Rock montado no Jardim de Alah.

Aniversário dos 30 anos do Axé Music é comemorado no Carnaval da Cultura de SalvadorNa terça-feira (17) de Carnaval os artistas irão abaixar as cordas para a alegria dos foliões. A grande novidade da Avenida será o retorno de Daniela Mercury, após 20 anos. Ainda no circuito Osmar, irão manter a animação o folião pipoca Sarajane, Armandinho, Dodô e Osmar, Saulo e Araketu. Já no circuito Dodô, estarão Moraes Moreira, Psirico, Carlinhos Brown, Armandinho, Dodô e Osmar, Rumpilezz, Malê e Muzenza.

Foram 20 grandes shows gratuitos no palco principal do Largo do Pelourinho. Cada espetáculo é composto por três artistas, promovendo encontros musicais memoráveis e inusitados. Entre os 45 artistas que participaram dos projetos selecionados para o palco principal da folia e foram contemplados também nomes como Chico César, Jussara Silveira, Magary Lord, Orkestra Rumpilezz, Lazzo Matumbi, Anelis Assumpção, Ana Mametto, Fabiana Cozza, Sine Calmon, Lirinha e Bailinho de Quinta.

O Carnaval da Cultura invadiu os Circuitos Dodô (Barra), Osmar (Avenida Sete) e Batatinha (Centro Histórico) com os dez microtrios do Carnaval Pipoca. A ideia é fugir da lógica meramente mercantil nesses circuitos para que a diversidade possa estimular novos diálogos e animar ainda mais a cena cultural na Bahia

Mais de 90 entidades são apoiadas pelo Ouro Negro. Ao todo, 93 entidades carnavalescas dentre blocos afro e de índios, afoxés e grupos de samba e reggae de Salvador foram contemplados pelo programa gerido pela Secretaria de Cultura. As agremiações apoiadas pelo programa desfilam nos três circuitos da folia: Batatinha (Centro Histórico), Dodô (Barra) e Osmar (Avenida Sete).

O ministro Juca Ferreira convidou na terça-feira (10/02) o cineasta Pola Ribeiro para assumir a Secretaria do Audiovisual (SAV) do Ministério da Cultura. A SAV é a área do Ministério encarregada de propor a política nacional do cinema e do audiovisual, bem como políticas, diretrizes gerais e metas para o desenvolvimento da indústria audiovisual e cinematográfica brasileira. A secretaria também atua em políticas de formação e capacitação audiovisual, produção, distribuição, exibição, preservação e difusão de conteúdos audiovisuais e cinematográficos brasileiros, respeitadas as diretrizes da política nacional do cinema e do audiovisual e do Plano Nacional de Cultura.

Axe-Music-Ploa-RibeiroPola Ribeiro dirigiu os filmes “O jardim das folhas sagradas” e “A lenda do Pai Inácio”. Formou-se em Comunicação, com mestrado em Gestão Social. Foi diretor da TVE Bahia, do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb) e presidente da Associação Brasileira das Emissoras Públicas, Educativas e Culturais (Abepec).

Comissão dos Pontos de Cultura da Bahia faz primeira reunião de 2015

Axe-Music-Comissao-dos-Pntos-de-culturaO compromisso com o diálogo ativo e mais próximo da comissão estadual foi uma das principais pautas da reunião de Pontos de Cultura da Bahia, na última segunda-feira (9/02), na sede do Instituto Palmares em Salvador. Com a presença da Secretaria de Cultura da Bahia e da Regional do MinC, a comissão estadual pediu que a Lei Cultura Viva seja tomada como uma política estadual dentro do sistema de cultura da Bahia. Segundo o integrante da comissão, Lula Dantas, a reunião “foi a oportunidade de dialogar com Estado sobre as questões que são prioritárias para a construção de uma política cultural envolvendo todos os nossos territórios de identidade”. A expectativa dos pontos é se crie uma nova forma de gestão para o programa Cultura Viva na Bahia, “não só em relação ao diálogo, mas também na construção de uma gestão compartilhada””.

 

Comentários