Bem-vindo | 19/08/2018

Portal Folha - O seu Jornal Online

Recomendação do MP e cautela leva à suspensão da festa de São João em Araci

Um pouco de juízo (cautela), uma pitada de medo (de errar) e uma dose de coragem (para falar a verdade), foram os ingredientes em destaque na decisão anunciada pelo prefeito Silva Neto ao ligar para o Patrulha da Cidade falando de uma vez por todas: “A Prefeitura não fará festa esse ano!”.

Por Gidalti Moura

ter, 05/06/2018 às 18:18

A imprensa baiana tem divulgado que os Promotores de Justiça que atuam nos municípios baianos foram orientados pelo chefe do Ministério Público estadual, a instaurar procedimentos para verificar gastos desarrazoados nas festas juninas promovidas pelas Prefeituras. A recomendação levou em consideração a recessão econômica pela qual passa o País, a diminuição da disponibilidade de recursos que levam prejudicam os municípios na realização e cumprimento às políticas públicas de sua responsabilidade.

O prefeito Silva Neto ao discursar na segunda feira (04.06) no ato de entrega de uma ambulância e uma viatura disse que as poucas disponibilidades financeiras que o município tem serão empregadas prioritariamente no cumprimento das políticas públicas essenciais.

Ao dizer isso, o prefeito parecia antecipar um recado mais enérgico que muita gente não estaria disposta a entender. O Ministério Público da Bahia emitiu uma recomendação com força de Portaria e esse aviso foi lido “ipsis litteris” pelo apresentador do Patrulha da Cidade José Socorro.

O radialista como é de seu gênio, bateu no lombo: “Tá certo o prefeito. Se a coisa tá preta e não tem dinheiro nem pra o básico que a população precisa, se já se cortou outras coisas como transporte, reduziu serviços por conta da crise, tem mesmo é que ter cautela” – Foram por aí o que comentou Zé Socorro.

O prefeito da prefeitura ligou para o programa e abriu o recado que estava na cabeça de todo mundo, só faltava ser dito por ele. “Deixar de fazer uma festa não é algo bom pra nenhum prefeito. Mas não posso fechar os olhos e deixar de atender a uma recomendação do Ministério Público” – disse Silva Neto.

A recomendação do Ministério Público salienta que o uso de recursos públicos na organização dos festejos juninos não pode ser feito em prejuízo do cumprimento de obrigações de maior relevância constitucional, como por exemplo, as obrigações relativas à saúde, à educação e ao saneamento básico. Falta conhecimento para algumas pessoas que preferem disseminar a mentira e denigrir a imagem do gestor por situações que está fora de seu controle e isso ocorre com milhares de prefeitos como eu.

O prefeito não é uma autoridade soberana e isolada. Há autoridades em todos os níveis postas em seus cargos para fiscalizar os gestores, os tribunais, o MP as câmaras e quem não fizer o dever de casa e não fizer uso devido do erário público, estará enquadrado no crime da improbidade.

Silva Neto arrazoou: “Nosso pais por mais que seja considerado algo injusto, tem um ex-presidente preso e um presidente em exercício que quando sair vai responder por seus atos e talvez tenha o mesmo destino do ex-presidente”. E perguntou: “Quem se estivesse no meu lugar arriscaria na prática de ações sem primeiro avaliar as consequências”? Todos me conhecem e sabem que tenho aprendido a ter responsabilidade, conhecem minhas intenções, mas se pararem para repensar, admitirão que não basta querer ser bom. É preciso acima de tudo ser correto. Completou.

Ainda em seu telefonema o prefeito Silva Neto disse que apesar de tudo não acabou o São João em Araci. Disse que essa tradição sempre será destaque na cidade, mas nesse ano é preciso repensar a crise. Ele convidou a todos os comerciantes, gente que se dedica a atividade de música, empresários, e os interessados para discutirem uma saída boa para todos. “As portas da Prefeitura estão abertas para contribuir da melhor e mais apropriada forma. A cidade estará bonita e preparada para as festas, mas ela nesse ano deverá ser uma iniciativa de todos os interessados e certamente o apoio do poder público vai acontecer” – Disse.

 

Comentários