Bem-vindo | 17/11/2019

Portal Folha - O seu Jornal Online

IGREJA ADVENTISTA DE ARACI HOMENAGEIA PIONEIROS

Começando com Amaro Lima que se tornara crente após chegar no Rio de Janeiro em 1910, os pioneiros seguidos de seus primos Laura e João Moura que chegaram em Araci como adventistas em 1945, outros pioneiros nos 73 anos de igreja foram homenageados no último sábado. A inovação do pastor Melquisedeque pretende instituir um dia no ano dedicado a Pioneiros de todas as épocas.

Por Gidalti Moura

ter, 21/05/2019 às 18:16

A história dos sabatistas e dos adventistas em Araci remonta o ano de 1910. Nesse ano, aos 19 anos de idade, sai do povoado do Caldeirão um jovem tabaréu chamado Amaro Oliveira Lima e vai para Pojuca, município da região metropolitana de Salvador em busca de trabalho e sem muito sucesso, decide com a cara e coragem, aventurar a vida mais longe e foi parar no Rio de Janeiro.

Laura sua prima contava e seu primo João chamado Crente, confirma que Amaro saia todos os dias pelo bucólico subúrbio carioca de Ricardo de Albuquerque a procura de trabalho e numa dessas caminhadas, sem fazer diferença entre dia e dias da semana, ele se aproxima de um salão onde algumas pessoas estavam reunidas em forma de culto evangélico. Sou baiano e estou em busca de um trabalho, disse ao ser cumprimentado por uma delas que o convenceu a esperar o fim do culto.

Depois o baiano retirante foi apresentado a uma jovem senhora que lhe submeteu a uma entrevista rápida e disse: “Tenho uma chácara e você pode trabalhar lá para ganhar o suficiente que espera receber, além de moradia como caseiro” – disse.

Logo na primeira noite de seu primeiro domingo na chácara, a patroa saiu de casa à noite e foi para o salão de culto e Amaro a acompanhou. Na quarta feira no mesmo horário, o mesmo compromisso e ele a acompanhou.

Na tarinha de sexta feira, a patroa disse a Amaro: Hoje no por do sol encerramos todas as nossas atividades e a           manhã cedo vamos para o salão de culto e assim Amaro mais uma vez a acompanhou.

Era inevitável o diálogo e a vontade de saber por que o comportamento da patroa e que religião era aquela que guardava o 7º dia da semana desde o por do sol do sexto dia. Amaro estudou sobre isso com sua patroa Chrispina por quem foi incentivado a tornar-se um adventista do sétimo dia e depois de sua decisão Chrispina e Amaro se uniram pelo casamento e agora marido e mulher, iniciaram uma prole abençoada com os filhos Silas, Silênio, Syntyche, Selemias, Siloé e Silenir. A família de membros que eram apelidados de “bíblias e sabatistas” por todos os moradores daquele território carioca impregnado pelo preconceito religioso.

A história salta para Araci no ano de 1934 quando Laura, recém-casada com João Moura, desembarcaram de um “ITA” no Rio. O casal João e Laura foram morar perto de Amaro e acabou tornando-se adventista por influencia do primo.

Laura foi evangelizada, mas só decidiu se batizar no ano de 1946 quando regressou à Bahia com o esposo e os filhos Pavel, Arôvel e Grênivel. Em 1947 o Moura, também se batizou iniciando com dupla pioneira a história da Igreja Adventista em Araci.

A residencia dos Mouras era também um lugar de culto. Laura e João Moura e seus filhos Pável Moura, Arôvel Moura e o bebê Grênivel cultuavam sozinhos, até que Deus lhes acrescentou mais filhos, Hezir, Gidalti, Jabes, Hezenir, Helenir e Hildenir.

O movimento cresceu com a adesão de mais irmãos na fé, e se instalou em uma casa na Rua Barão de Jeremoabo, tempos depois foi transferida para Praça José Ferreira, numa casa alugada que depois foi comprada e em seu lugar se construiu o primeiro templo da igreja.

Do ano de sua fundação até o ano de 1988 quando a igreja se emancipou como Igreja Organizada oficialmente, foram continuadores do trabalho de Laura e João Moura os pioneiros: Dionizio Oliveira Carvalho, Jepthe Oliveira Pinheiro,  Hezir Moura Pinheiro,  José Pastor de Oliveira,  João Ferreira de Oliveira,  José Pastor de Oliveira Irmão,  Sofia Maria Oliveira, Maria José dos Santos,  Miguel Moreira,  Raimundo Silva Dias, e Robson dos Reis.

O casal de professores Hezir e Jefinho Pioneiros na Administração e primeira Escola Adventista fundada em Araci.

Pioneiro Dionízio Carvalho substituiu João Moura representado por sua esposa Maria Carvalho e profa. Aurineide Oliveira que representava seu esposo José Pastor, primeiro pastor da história da igreja como distrito de Feira.

Maria José dos Santos e seu esposo José dos Santos, primeiros batismos de jovens e primeiro casamento adventista realizado em Araci. – Dr. Robson Reis, pastor e médico fruto dos primeiros pioneiros enviados para o ENA.

Casal Joselito e Sofia, 19 anos na tesouraria da igreja e iniciadores dos programas de jovens e desbravadores.

Miguel Moreira, entrou para a igreja como missionário, abriu mais de oito igrejas com seu trabalho na Zona Rural.

João Oliveira, chamado João crente. Pioneiro formador de dupla missionária com Nizinho. Iniciou a obra de construção do primeiro templo da igreja depois de sair da casa comprada na mesma praça.

As homenagens se materializaram com a outorga de Medalha de Honra e reconhecimento do Mérito de Pioneiros, acompanhada de um Certificado com registro do feito para as futuras gerações. Os pastores Melquisedeque, Carlos Ferreira e José Edson procederam a outorga de medalhas e entrega dos diplomas aos Pioneiros.

 

Comentários