Bem-vindo | 26/11/2020

Portal Folha - O seu Jornal Online

Alisson, você partiu cedo demais amigo!

Ao partir tragicamente e sem aviso, Alisson reuniu uma multidão de amigos e sem linguagem e sem fala, deixou uma lição em sua despedida? “Que o amor verdadeiro floresce onde há diferenças”.

 

Por Gidalti Moura

seg, 09/11/2020 às 19:14

Registrar tragédias e publicar notícias ruins, nunca foi o forte de meu estilo jornalístico ao longo dos anos. Mas na tarde desta segunda feira lutuosa, estava entre dezenas de pessoas que paravam, entravam e saiam do cemitério da cidade e me senti, entre todos, um igual.

A gente quando vai a cerimonias de outras naturezas é levado a se perguntar, quem lá estará. Mas nas cerimônias funéreas, o sentimento é diferente porque ninguém é “alguém” – desta ou daquela maneira, que pensa assim ou assado, que é contra ou a favor, correligionário ou adversário; todos somos simples humanos e como todos mortais.

Isso, escrevo, porque sem afirmar ser casual, nos períodos de rivalidades de uma campanha eleitoral, Araci é sempre estremecido por fatalidades e por perdas irreparáveis de alguém entre nossos irmãos de chão. E para nosso próprio ensino e reflexão, todos somos atingidos na alma da mesma forma e com a mesma intensidade porque “o amor verdadeiro floresce onde há diferenças”.

A despedida daquele irmão de chão, mano, brother, lek, amigo  de fé e camarada, reuniu a todos, quebrou as diferenças, ignorou as maneiras, unificou a forma de pensar, aproximou os contras dos que são a favor, e deletou o binômio correligionário e adversário. Ao redor do esquife que o transportaria para outra dimensão, se estendeu um abraço de saudades que nunca terminam e sentimento de uma ausência que será sentida todos os dias e por todos, simples humanos e mortais.

Alisson, você partiu cedo demais amigo!

Os que confiam no Senhor, encaram a morte amparados pelo conforto do Doador da vida que em Sua Palavra garante algo maravilhoso: “Ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” (Ap 21:3,4).

Nessa bendita esperança é que devemos nos confortar diante da perda sem aviso desse cara que os mais velhos chamavam de “garoto” espetacular”, o tipo de pessoa fascinante que não deveria partir tão cedo e assim tão rapidamente. Alisson se foi cedo demais para seus familiares e para seus amigos que estavam acostumados a lidar com aquele cara alegre, falante, serviçal em seu posto de trabalho na renomada Papel & Cia.

Como leitor preferencial de nosso Portalfolha.com a Diphatu’s se solidariza com todos que o amavam extremosamente.

 

Comentários