Bem-vindo | 22/11/2018

Portal Folha - O seu Jornal Online

74º Niver do “Senhor Cidadão” Grênivel Moura

“O baiano que escreveu que “o triunfo da corrupção” levaria o homem a ter vergonha da de ser honesto”, nasceu na capital da Bahia de todos os Santos em 5 de novembro de 1849. 67 anos depois do decesso desse baiano ilustre, nesse mesmo dia nasceu em outra baia, Baia da Guanabara o Senhor cidadão araciense, Grênivel Moura.

Por Gidalti Moura

seg, 05/11/2018 às 10:47

O nome Grênivel, lhe fora colocado por afloramento das paixões soviéticas do velho marinheiro João Moura, como deu o nome de Pável ao primeiro filho, Arôvel ao segundo e a Wevel e o último Rocksowisk. “Grênivel de “Sérgio” não tem nada, mas de “Mouro” talvez pela descendência dos “Mouras” nascidos na região do Alentejo em Portugal, também chamada de “Muralha” ou terra dos Mouros”.

A trajetória dada como desprezível por uma comunidade que o viu sacudir a ambiente político de seu tempo quando vereador de seis anos de exercício o vereador Grênivel, credita ao cidadão Grênivel Moura, essa analogia de “muralha” atribuída à terra dos Mouros. O modelo por ele adotado em seu tempo parlamentar, qual verdadeira muralha de defesa de sua terra, está fazendo falta.  Como vereador, Grênivel era implacável, portando-se sempre como ele bem diz: “sem medo, sem ódio e sem rabo prezo”; contra as corrupções, vigarices e fraudações, práticas já comuns na administração pública de Araci desde sua maioridade como comuna livre. A Casa Legislativa de seu tempo com seus colegas de parlamento, José Luiz Boaventura, Antônio Fernando Ribeiro, Valdemiro Pinheiro, Miguel Moreira, Otávio Barreto, Manoel Teixeira, José Eliotério da Silva, Elizeu Batista, Prisco Barreto e José Augusto Pinho Barreto, conserva registros dessa história e o tempo que corrói a trajetórias dos maus, não há como lhes negar tais fatos.

Hoje ao completar seus setenta e quatro anos, Grênivel se encontrava na terra que o recebeu ainda nas fraudas em 1946. Aqui, quando passa em meio à sua milícia instintiva e sem remuneração em favor da moralidade, toma pé da situação política de Araci e do Brasil e se identifica com a nova onda “bolsonariana” pela indignação que se mistura ao desejo de experimentar ainda um Brasil que esteja acima de tudo o que é interesse espúrio e que adote Deus em primeiro lugar.

Por tudo o que foi pelo que vem sendo, pelos seus benfazejos 74 anos, todos os que assim enxergam esse Senhor Cidadão desejamos:

                            PARABÉNS.

Comentários